Espinha interna: por que surge e como tratar

Descubra como evitar este incomodo e, caso tenha, as formas mais fáceis de livrar-se dele

Espinha interna

Existem poucas coisas mais irritantes que uma espinha, entretanto a espinha interna consegue superar esta concorrente. Além de doerem mais, são mais difíceis de tratar e demoram para aparecer.

Podem surgir no nariz, na orelha ou embaixo da pele. Seu incomodo é irritante, mas existem formas de acabar com a tal da “acne nódulo-cística”.

Mas já fica um alerta para quem sofre com a espinha interna: é importante não espremer, pois existe o perigo de inflamação. Além desta gravidade, ainda surgem cicatrizes no rosto.

 

Como evitar espinhar internas

Algumas medidas simples podem ajudar a prevenir estas acnes invisíveis e doloridas. Essas medidas vão desde higiene básica até algumas dicas um tanto inteligentes.

É importante sempre lavar o rosto, no mínimo três vezes ao dia, desta forma os poros estão sempre limpos e a pele fica menos oleosa. Em tempos de calor esse número mínimo tende a aumentar.

É também importante, ainda para evitar a pele oleosa, tomar cuidado com o que come. Muitas frituras, comidas processadas, fast-foods e salgadinhos acabam por aumentar a produção das glândulas sebáceas, desbocando em uma pele brilhante e com espinhas.

Chocolates também são alimentos que contribuem para o surgimento das espinhas internas e, a depender da pessoa, o glúten pode ser uma bomba para espinhas.

Recomenda-se, não só no que tange a espinha, mas como uma medida preventiva de saúde mesmo, usar protetor solar todo dia ao acordar. Isso protege a pele dos raios de sol, além de evitar esses pequenos e doloridos incômodos.

 

Como tratar espinhas internas

Novamente: não esprema!

A primeira coisa possível de fazer é esperar até que a espinha cure naturalmente. Entretanto são dias de chateação e dor.

Uma medida recomendada é colocar uma compressa de agua quente no local da espinha. A água quente abre os poros de sua pele o que auxilia na saída da espinha interna de uma forma leve. A compressa deve ser feita com algodão.

Outra recomendação constante de compressa é a do chá preto. É só fazer o chá e colocar o sachê (ou molhar um pano ou algodão com o chá) em cima do local da espinha.

Recomenda-se que o processo seja feito ao menos duas vezes por dia, além da higienização costumeira da pele.

Indicado também para as dores e inflamações é o chá de bardana morno, que pode ser aplicado acima do local afetado por 20 minutos. Isso ajuda a aliviar os sintomas.

Outra estratégia seria a esfoliação da pele. Sabonetes com micropartículas, tratamentos estéticos, cremes específicos, todos esses são métodos esfoliantes e podem ajudar na remoção da espinha interna.

É preciso ter cuidado somente quanto ao creme, pois, como dito antes, alguns podem aumentar a oleosidade da pele, agravando o problema.

 

A espinha interna é um incomodo tanto em adolescentes, quanto em adultos. Felizmente é um problema tratável e, ao fim da adolescência, com os hormônios um pouco mais calmos, o problema tende a diminuir.

Mesmo assim existem todas estas medidas para evita-lo e, de forma eficiente, cura-lo.