Simulador de empréstimos: Como simular empréstimo na internet

Um simulador de empréstimos é uma ótima ferramenta para quem está precisando de um dinheiro rápido, mas ainda está procurando fazer o melhor negócio.

Com tantas taxas de juros diferentes, é normal se sentir preocupado em relação à diferença que precisará pagar a mais. Por isso, não deixe de conferir aqui no nosso artigo duas ótimas opções para simular seu crédito e começar a se organizar.

Simulador de empréstimos do Serasa

O simulador de empréstimos do Serasa é uma opção prática para quem deseja ter uma noção dos valores da parcela.

Por ser parceira de muitas instituições, é um local de simulação confiável. Além disso, é através dela que os bancos ou financeiras analisarão seu CPF para decidir se liberam ou não, o crédito.

  • Acesse o site do Serasa do simulador de empréstimos.
  • Na aba que aparece no início da página, movimente o cursor para indicar o valor que você precisa e em quantos meses pretende pagar.
  • Análise o valor da parcela mensal ao lado.
  • Se o valor agradou, você pode clicar em BUSCAR OFERTAS para fazer seu cadastro na Serasa e solicitar o crédito. É um processo simples, sendo necessário apenas fornecer alguns dados para um formulário.

Simulador de empréstimos da Comparabem

Uma opção para quem deseja comparar as taxas do mercado é o site Comparabem. A plataforma é simples e com apenas alguns cliques você consegue acessar uma gama de oportunidades.

  • Acesse a página de empréstimos da Comparabem.
  • No formulário do topo do simulador de empréstimos, informe o tipo de crédito (normal ou consignado), o valor necessário, o prazo (parcelas) e sua renda mensal.
  • Também informe sua UF.
  • A página irá redirecionar o usuário para uma lista composta pelo nome da instituição financeira, valores da parcela, taxas de juros e o Custo Efetivo Total (CET) do empréstimo.

É importante lembrar que a simulação nunca consegue informar o valor exato das parcelas. Isso você só consegue ver no momento de assinar o contrato em conjunto com a instituição financeira. Por isso, esteja atento aos termos e não esqueça de verificar o CET.